QUINTA, 19/05/2022, 15:29

Apesar das baixas temperaturas e das geadas fracas produtores rurais do estado não tiveram grandes perdas

Novo boletim do Departamento de Economia Rural mostra ainda que, no caso do trigo, o frio até ajudou as plantas em vários aspectos.

A massa de ar polar que passou pelo Paraná ao longo da semana provocou a queda brusca nas temperaturas em quase todo o estado e geadas, mesmo que fracas, em algumas regiões. Apesar disso, segundo o Departamento de Economia Rural da Secretaria de Agricultura, não foram registradas perdas expressivas nas lavouras.

No caso da segunda safra de milho, com a ausência de geada nas principais regiões produtoras, como o Norte do estado, não houve prejuízos. Mais de 50% da área plantada com o grão no Paraná já está na fase de frutificação e com condições boas em 87% delas.

No último Boletim Semanal da Conjuntura Agropecuária, divulgado pelo Deral nesta  quinta-feira, os técnicos do órgão apontaram que, apesar da preocupação com a queda nas temperaturas para a segunda safra do milho e também do feijão, o frio pode trazer bons resultados para algumas culturas, como o trigo, por exemplo, explica o agrônomo do Deral, Carlos Godinho.

Com quase 50% da área total já semeada no estado, ele diz que as temperaturas mais baixas acabam controlando, por exemplo, a população de insetos e plantas que poderiam prejudicar o cereal e também favorecem o chamado perfilhamento do grão.

O Boletim Semanal  do Deral traz ainda projeções sobre a expectativa do chamado Valor Bruto de Produção da soja em 2021, que deve ser divulgado em alguns dias, e pode chegar a R$ 50 bilhões. O que representaria uma alta de 70% se comparado com 2020, apesar da produção ligeiramente menor em relação ao recorde de quase 21 milhões de toneladas desse ano.

Por Marcos Garrido

Comentários