SEGUNDA, 25/05/2020, 19:36

Após um mês e meio sem registros de Covid-19, Cornélio Procópio enfrenta avanço rápido da doença

Em pouco mais de dez dias, número de casos saltou de cinco para 38. Segundo prefeito, festa realizada na cidade no início do mês teria sido estopim para o aumento dos casos.

Um avanço extremamente rápido. Na semana passada, o número de casos positivos da Covid-19 em Cornélio Procópio pulou de cinco para 23. E nesta segunda-feira, no último balanço divulgado pela Prefeitura, um novo salto: a cidade passou para 38 casos confirmados da doença.

O Município aguarda ainda os resultados de 105 testes da Covid-19. Mas, o dado que mais chama a atenção é o número de pessoas monitoradas pela secretaria Municipal de Saúde por apresentarem os sintomas da doença, mais de 500. Segundo o prefeito de Cornélio Procópio, Amin Hannouche, todos os pacientes sintomáticos serão testados.

Com o grande aumento da quantidade de casos e a primeira morte, de uma mulher de 47 anos, registrada na quinta-feira passada, o prefeito diz que a situação, que estava sob controle há poucos dias, agora é preocupante.  

Amin Hannouche diz que a curva ascendente da Covid-19 na cidade começou após uma festa realizada na cidade, no início do mês, e que se tornou um foco de propagação da doença.

De todos os participantes da festa, 11 pessoas de uma mesma família teriam sido contaminadas. O prefeito diz que com o avanço da doença vem discutindo com a 18ª Regional de Saúde e o Ministério Público novas medidas restritivas, uma delas já foi determinada: a interdição da praça do Cristo, um conhecido ponto de visitação da cidade.

Amin Hannouche avalia que o comércio de Cornélio vem seguindo as medidas de segurança determinadas pela Prefeitura e que esse não teria sido o motivo do aumento do número de casos na cidade.

Amin Hannouche afirma que uma pessoa que estava na festa realizada na cidade no feriado do Dia do Trabalhador, e acabou contaminado, é funcionário de uma grande indústria local e teria disseminado o coronavírus no ambiente de trabalho.

Segundo o prefeito a empresa teve que afastar 70 funcionários e vai ter que apresentar um plano de contingência para frear a disseminação da doença. Todos que trabalhavam nos mesmos ambientes do empregado contaminado, de acordo com Hannouche, vão ser testados para a Covid-19.

Por Marcos Garrido

Comentários