QUARTA, 09/01/2019, 20:34

Bloqueio de mais de R$ 8 bilhões no orçamento do Estado afeta obras em Londrina e até planejamento da UEL para 2019

Reitor afirma que primeiro semestre está garantido, mas se contingenciamento continuar Universidade pode ter problemas, inclusive para pagar o décimo terceiro dos servidores

O Decreto publicado no Diário Oficial do Estado tem quase 100 paginas e determina o contingenciamento de 20% dos recursos do orçamento do poder Executivo, aprovado em dezembro passado. O que representa mais de R$ 8 bilhões. Entre as obras que tiveram verbas bloqueadas aqui na cidade, a da cadeia pública, que tinha previsão de R$ 3,6 milhões, a construção da terceira fase do Jardim Botânico, R$ 1,3 milhão, a Delegacia Cidadã, cujo investimento também seria de R$ 1,3 milhão e as obras do Pronto Socorro do HU, que tinham recursos garantidos no orçamento e tiveram pouco mais de R$ 330 mil contingenciados.

A obra com o maior valor bloqueado aqui em Londrina é a duplicação do trecho da PR- 445 que vai do conjunto Jamile Dequech ao distrito de Irerê, cujo valor é de mais de R$ 5,5 milhões. As Universidades Estaduais também foram atingidas e no total tiveram aproximadamente R$ 500 milhões contingenciados. Na UEL, o Decreto do Governo do Estado definiu um contingenciamento de quase R$ 125 milhões.

Além disso, segundo o Reitor Sérgio de Carvalho, outros R$ 55 milhões, que seriam repassados às unidades de saúde vinculadas à UEL, como o HU e a Clínica Odontológica, também foram bloqueados.

Carvalho afirma ainda que o planejamento feito para o primeiro semestre está garantido, mas se o contingenciamento continuar a Universidade pode ter problemas para pagar o décimo terceiro dos servidores. O grande desafio agora, para o Reitor, é convencer o Governo a desbloquear o total dos recursos previstos no orçamento e com isso não prejudicar o ano da Universidade.

Sérgio Carvalho avalia que o contingenciamento é comum no início de novas gestões, mas confessa que esperava um bloqueio menor e que atingisse menos áreas da instituição.

Segundo o Reitor, juntas UEL e UEM respondem por metade dos recursos do sistema de ensino superior do Estado. O contingenciamento foi tratado em uma reunião com o setor financeiro da Universidade no fim da tarde desta quarta-feira, segundo o Reitor, com o objetivo de avaliar mais concretamente o impacto do bloqueio no planejamento da UEL para 2019. 

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade