QUARTA, 18/08/2021, 17:10

Cambé registra primeiro caso de dengue do norte do estado em novo período epidemiológico

Outras quatro cidades tiveram positivações em primeira semana de monitoramento da doença. Municípios da região de Londrina somam 45% de todas as notificações.

O primeiro boletim da dengue do novo ano de monitoramento da doença foi divulgado na última terça-feira pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O período epidemiológico tem início em agosto deste ano e segue até julho de 2022.

De acordo com o relatório, cinco casos foram confirmados nesta semana em quatro municípios paranaenses. As cidades que identificaram pessoas com dengue foram Foz do Iguaçu, com duas positivações, Santa Isabel do Ivaí, Medianeira e Cambé.

Apesar de um dos diagnósticos ter sido registrado na cidade vizinha, o panorama divulgado pela Sesa mostra que a região de Londrina apresenta um baixo risco por conta das condições climáticas que dificultam a proliferação do Aedes aegypti, mosquito que transmite a doença. Ainda assim, o secretário estadual de Saúde Beto Preto reforçou a importância de que a população continue adotando medidas de combate à dengue.

O balanço aponta ainda que outros 47 municípios do estado estão investigando possíveis casos. Neste primeiro boletim epidemiológico, 219 notificações foram registradas. As cidades que compõem a 17ª Regional de Saúde, na região de Londrina, somam 132 registros, o que corresponde a 45% deste total.

A enfermeira da Vigilância Epidemiológica Simone Lopes conta que, no ano passado, Cambé passou por um período de alta na taxa de transmissão. Segundo ela, os indicadores foram amenizados com estratégias e medidas para conter o avanço da doença.

Ela reforça que, com a chegada de um novo período epidemiológico, o acompanhamento da situação da dengue na cidade continua, em parceria com outras secretarias municipais, além das equipes de controle de endemias.

Simone orienta que, além das ações preventivas, como a eliminação de focos de água parada e a manutenção de calhas e caixas d’água, a população pode ajudar no combate à dengue informando possíveis criadouros do mosquito as Unidades Básicas de Saúde de Cambé.

O boletim semanal da Sesa não registrou nenhum óbito relacionado à infecção. Também não foram identificados casos de chikungunya e zika virus, doenças que também são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

 

COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

Por Victor Assis

Comentários