SEGUNDA, 15/04/2019, 18:50

Centro de Especialidades do Cismepar deve ser entregue até o fim do ano

Em relação ao Centro de Reabilitação, que por enquanto está só no papel, diretora-executiva do Consórcio diz que ele só fica pronto em quatro anos.

A construção do Centro de Especialidades do Paraná está parada desde outubro do ano passado, quando a construtora solicitou um aditivo financeiro ao contrato, que foi negado, e a empresa decidiu abandonar a obra. A diretora-executiva do Cismepar, Silvia Karla Andrade, diz que a assessoria jurídica do Consórcio decidiu convocar a segunda colocada no certame para tocar o restante da obra.

Nesta segunda-feira a empresa aceitou a proposta e informou que vai concluir o Centro, que tem 3.500 m² de área construída e está com 94% das obras concluídas. Segundo Silvia Karla Andrade, a expectativa é retomar as obras da unidade, que fica na avenida Leste Oeste, ao lado do Cismepar, nas próximas semanas e concluir o Centro de Especialidades até o fim do ano.

O Centro de Especialidades do Paraná vai abrigar serviços de imagem e diagnóstico, como raio-x, tomografia e ressonância magnética, além dos atendimentos às redes de atenção à saúde do idoso, o mãe paranaense, entre outros. A unidade vai atender usuários de 21 municípios da região e deve aumentar a capacidade de atendimento em 50%.

Mesmo com inacabado e sem mobiliário, no ano passado a governadora Cida Borghetti veio a Londrina e inaugurou o prédio. O custo total da obra chega a R$ 7 milhões. Para mobiliar e equipar o Centro, a previsão é gastar mais de R$ 1,5 milhão.  De acordo com a diretora-executiva do Cismepar, a licitação dos equipamentos já está pronta e esperava apenas pela conclusão da obra.

Em relação ao Centro Especializado em Reabilitação, a diretora do Cismepar diz que o projeto executivo já está pronto e o edital de licitação está sendo revisado por uma empresa especializada e deve ser publicado nos próximos meses.

O Centro Especializado em Reabilitação tipo III será construído em um terreno ao lado da UPA do Jardim Sabará, e que foi doado pela Prefeitura, no início do ano passado. A unidade vai prestar atendimento a pessoas com deficiência intelectual, auditiva e motora, permanente ou temporária. É o segundo Centro do tipo no estado. O primeiro funciona em Curitiba.

O terreno tem mais de 15 mil metros quadrados e serão 1.600 metros de área construída. A unidade vai contar com uma equipe de aproximadamente 40 profissionais, entre enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos e nutricionistas.

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade