QUARTA, 11/07/2018, 11:07

Comissão Processante da Câmara que investiga possível quebra de decoro parlamentar dos vereadores Rony Alves e Mário Takahashi, já encaminhou imagens da reunião das oitivas ao Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado

O pedido foi feito depois que Júnior Zampar denunciou ter sido coagido por advogado do vereador Rony Alves

A Câmara encaminhou as imagens da reunião nesta terça-feira, logo que foi notificada pelo Gaeco. O delegado Alan Flore pode chamar também os integrantes da Comissão e o Procurador Jurídico da Câmara para esclarecer os fatos denunciados pela testemunha.

Segundo o presidente da CP, José Roque Neto, não houve nada anormal durante a reunião.

O empresário Júnior Zampar alega ter sido coagido pela defesa de Rony Alves, o advogado Maurício Carneiro, que inclusive deu voz de prisão à testemunha. Júnior Zampar é o principal responsável pelas denúncias do suposto esquema de corrupção de cobrança de propina em troca de aprovação de projetos para mudar o zoneamento urbano do município. Zampar estava desacompanhado de um advogado e, segundo o presidente da CP, não teria pedido para chamar um representante para defendê-lo.

A Comissão pretende ouvir 19 testemunhas apontadas pelos réus ainda pela manhã da próxima segunda-feira, data em que começa o recesso na Câmara. No período da tarde, a expectativa é ouvir os vereadores Rony Alves e Mário Takahashi. Todos já foram notificados.

Segundo Roque Neto, não há obrigação nenhuma para que as testemunhas deponham na Comissão. Três delas que moram em outros estados foram notificadas por sedex. 

A CP tem até o dia 24 de agosto para ser concluída.

O Gaeco também não descarta a possibilidade de entrar com uma medida cautelar na Justiça contra os responsáveis pela suposta intimidação.

A Câmara encaminhou as imagens da reunião nesta terça-feira, logo que foi notificada pelo Gaeco. O delegado Alan Flore pode chamar também os integrantes da Comissão e o Procurador Jurídico da Câmara para esclarecer os fatos denunciados pela testemunha.

Segundo o presidente da CP, José Roque Neto, não houve nada anormal durante a reunião.

O empresário Júnior Zampar alega ter sido coagido pela defesa de Rony Alves, o advogado Maurício Carneiro, que inclusive deu voz de prisão à testemunha. Júnior Zampar é o principal responsável pelas denúncias do suposto esquema de corrupção de cobrança de propina em troca de aprovação de projetos para mudar o zoneamento urbano do município. Zampar estava desacompanhado de um advogado e, segundo o presidente da CP, não teria pedido para chamar um representante para defendê-lo.

A Comissão pretende ouvir 19 testemunhas apontadas pelos réus ainda pela manhã da próxima segunda-feira, data em que começa o recesso na Câmara. No período da tarde, a expectativa é ouvir os vereadores Rony Alves e Mário Takahashi. Todos já foram notificados.

Segundo Roque Neto, não há obrigação nenhuma para que as testemunhas deponham na Comissão. Três delas que moram em outros estados foram notificadas por sedex. 

A CP tem até o dia 24 de agosto para ser concluída.

O Gaeco também não descarta a possibilidade de entrar com uma medida cautelar na Justiça contra os responsáveis pela suposta intimidação.

Por Marta Ortega

Comentários

Publicidade