QUINTA, 03/05/2018, 18:34

Comitê de crise da saúde se reúne pela segunda vez, agora para apresentar planos que reduza a superlotação em hospitais

O atendimento a atenção básica foi o foco para a amenizar o problema.

Na semana passada foi criado pelo Ministério Público um comitê de crise com representantes do Conselho Municipal da Saúde, do MP, de hospitais, da 17ª regional e da prefeitura.

O problema recorrente, da superlotação de hospitais chegou ao MP e foi apontada a falta de atendimento à atenção básica de saúde como principal fator.

Nessa semana em uma nova reunião no MP, o comitê agora apresentou planos.

O Secretário Municipal de Saúde, Felippe Machado, avaliou que a reunião foi produtiva com propostas de curto, médio e longo prazo para melhorias na atenção básica e reduzir o volume de atendimentos em ocupação de leitos em hospitais.

O Secretário admite que faltam mais de 700 servidores no setor de saúde municipal, desses 200 são médicos, ele não soube precisar quando haverá contratação. Essa seria a medida a longo prazo. A curto e médio serão tomadas medidas internas de otimização de encaminhamento ao paciente.

O comitê de crise deve se reunir novamente no dia 18 de maio.

Por Bruno Carraro

Comentários