SEGUNDA, 11/10/2021, 07:02

Condições para plantio no Paraná apresentam melhora significativa, após chuvas

Segundo chefe do Deral, perspectiva de agricultores é de avanço na semeadura e valorização no mercado.

As chuvas registradas nas últimas semanas trouxeram uma nova perspectiva para a produção agrícola do estado. É o que revela o boletim de conjuntura agropecuária do Departamento de Economia Rural (Deral). De acordo com o relatório, as condições para plantio apresentaram uma melhora significativa nos primeiros dias de outubro.

A área destinada à soja primeira safra, por exemplo, mais que dobrou a cobertura de sementes semeadas, chegando a 918 mil hectares, que representa 16% do total previsto. Este número também é positivo, quando comparado ao mesmo período do ano passado, quando apenas 8% do estimado havia sido plantado.

Salatiel Turra, chefe do Deral, explica que as chuvas permitiram que o solo ganhasse umidade, o que ajuda no processo de crescimento das plantas e a trazer uma perspectiva mais otimista para a produção. Apesar disso, a estiagem prolongada que vive o estado pode continuar trazendo reflexos para o abastecimento da população.

O documento desenvolvido pelo Departamento também aponta que o volume de chuva registrado no Paraná também beneficiou os produtores de mandioca. No caso do feijão, a expectativa é positiva para a próxima safra. Ao longo da última semana, o plantio da cultura avançou 26 mil hectares.

Turra destaca ainda que as novas condições climáticas também devem contribuir para o setor agropecuário, em especial na produção de leite, por conta da recuperação das pastagens no estado.

O chefe do Deral, avalia que os valores de comercialização de produtos como a soja e o milho também impactam diretamente no ritmo de produção paranaense, que deve ser intensificado com a melhora das condições climáticas.

Segundo o boletim divulgado pelo Departamento de Economia Rural, a exportação de mel também apresentou avanços nos primeiros oito meses deste ano, com um crescimento de mais de 20%. Por outro lado, o estado registrou uma queda de 3% na área destinada ao plantio da primeira safra do tomate, mas a perspectiva é de que a produção não seja comprometida por este fator.

Por Victor Assis

Comentários