QUARTA, 07/11/2018, 19:23

Cuidado com o pacote de viagem que você compra por aí

Dono de agência deixa 50 pescadores na mão e desaparece. Policiais civis tentam encontrar o suposto empresário há uma semana, mas até agora nada.

O turismo de pescaria é, há um bom tempo, um grande filão para o setor. No mercado, são muitas as opções e para vários lugares. Mas, na hora de fechar o pacote, todo cuidado é pouco. O administrador de empresas londrinense Carlos Cobo, de 44 anos, era uma das 50 pessoas que comprou uma viagem de seis dias para a Argentina e ficou sem o passeio e sem o dinheiro pago pelo pacote

O caso já é investigado pelo 1º Distrito Policial aqui de Londrina. Segundo Carlos Cobo, nem os policiais civis conseguiram falar com o dono da empresa, que se identificou como Jorge Bueno. O administrador de empresas diz que homem simplesmente desapareceu.

O valor do pacote era de R$ 3 mil e o pagamento foi feito em nove cheques. A pescaria estava marcada para começar no dia 23 de outubro e só terminaria no dia 28. O administrador de empresas diz que a viagem acabou sendo adiada para o dia 30. O grupo saiu de Londrina, despachado pelo dono da agência em dois ônibus, pela manhã e quando chegou a Foz do Iguaçu foi informado, por mensagem de whatsapp, que não havia reserva na pousada contratada na Argentina.

Parte do grupo decidiu voltar imediatamente para Londrina. Outras 30 foram para a Argentina e tiveram que arcar com as despesas de hospedagem. A empresa, que fica na área central da cidade, tem registro na EMBRATUR. Segundo Carlos Cobo, o dono da agência teria afirmado que iria ressarcir os clientes, isso no dia em que o grupo chegou a Foz do Iguaçu, mas até agora nada.

No Facebook, a última publicação na página da empresa foi no dia 31 de outubro, quando a agência de turismo postou uma nota de esclarecimento informando sobre o problema com as reservas. De lá pra cá, mais nenhuma postagem. Telefonamos várias vezes, por dois dias seguidos, para o número de celular que aparece na página da empresa na internet. Mas a ligação caia na caixa postal.

Segundo o delegado Edgar Soriani, responsável pelo 1º Distrito Policial, os agentes da delegacia continuam procurando pelo empresário. Na semana passada estiveram na agência de viagens, mas ela estava fechada. Os policiais também foram à casa dele na avenida JK, mas não encontraram ninguém e deixaram, por baixo da porta do apartamento, uma intimação para que ele compareça à delegacia.

De acordo com Soriani, por enquanto, existe apenas uma investigação, mas se o dono da agência não aparecer para prestar esclarecimentos ele deve instaurar um inquérito policial.

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade