SEGUNDA, 15/04/2019, 10:11

ExpoLondrina 2019 termina com balanço positivo na avaliação da Sociedade Rural

Presidente da entidade afirma que agenda política foi um dos grandes destaques desse ano. Visitantes e expositores elogiam limpeza da Feira

 

O tempo mais nublado e a chuva fina que caiu durante parte da manhã do domingo não chegaram a atrapalhar o último dia da Expo Londrina 2019. À tarde, a previsão de chuvas e trovoadas do dia anterior não se confirmou e os visitantes começaram a chegar em peso à Feira.

Mas o movimento de sábado, quando o Parque de Exposições recebeu um dos maiores públicos desse ano, foi o destaque do último fim de semana da Expo 2019, que teve rodeio lotado, Hackaton no Pavilhão Smart Agro, concurso de Saltos e muita gente nos brinquedos, lanchonetes e restaurantes.

Para o presidente da Sociedade Rural do Paraná, Antônio Sampaio, houve pontos positivos e negativos e todos eles serão avaliados em um grande balanço que é feito ao fim da Feira.

Sampaio destaca as palestras e eventos técnicos, que tiveram públicos surpreendentes, a limpeza, uma exigência pessoal dele, e a agenda política da Feira, que acabou gerando, no caso do Governo do Estado, a garantia da retomada e início de algumas obras na cidade.

No sábado à tarde, um incidente durante a apresentação da Esquadrilha da Fumaça, deixou doze pessoas levemente feridas. Quatro delas chegaram a ser encaminhadas a unidades de saúde, fizeram exames e foram liberadas. No episódio, que ocorreu em frente ao estúdio da CBN Londrina, um cavalo teria se assustado com o barulho dos aviões da FAB e seus rasantes pelo parque e correu em direção às pessoas.

Pra os que queriam apenas passear pela Exposição, como o Wiliam Valentim e a família, a tarde de domingo sem chuva foi uma grande opção. Assim como o presidente da Rural, ele elogiou a limpeza e a quantidade de opções para comer.

Mas também foi dia de aproveitar as últimas horas de Feira para fechar algum negócio ou abrir portas para uma futura venda. Caso do representante de uma empresa da área genética bovina, Fernando Barreiro, que participa da Expo há alguns anos.

Na opinião dele, foi uma Feira melhor do que a do ano passado, com algumas vendas já realizadas e principalmente boas perspectivas de negócios.

No total, segundo a Sociedade Rural do Paraná, cerca 200 quiosques e lanchonetes, além de mais de dez restaurantes se instalaram na Expo 2019. Entre os comerciantes de comidas e bebidas, sensação de dever cumprido. Quem praticamente se mudou para o parque durante os dez dias de feira, diz que foi cansativo, mas também foi lucrativo. Entre eles, a limpeza também foi destaque.

O micro empresário Vaguino Santos, veio de Nossa Senhora das Graças, próxima a Colorado, pela quarta vez e diz que o faturamento foi semelhante ao do ano passado. Dono de um food truck de pizzas e cones, ele viaja por muitas feiras de todo o Estado e foi mais um que elogiou a limpeza da Exposição.

Na tradicional Feira de Sabores, o sentimento entre os micro-empreendedores e pequenos produtores é de que foi uma boa Exposição. Mas, chamaram atenção esse ano alguns espaços vazios no Pavilhão Alípio Ferreira de Castro.

Vanderlei Reco e a família e produzem mel em Rolândia e já participam da Exposição há alguns anos. Ele acredita que o valor da taxa para ter um estande no local pode ter afugentado alguns dos pequenos empreendedores, mas foi só elogios em relação à estrutura e a organização da Feira de Sabores.

 Levamos a demanda do pessoal da Feira de Sabores ao presidente da Rural, que afirmou que todos os pontos levantados pelos expositores serão avaliados, inclusive o preço dos espaços. Para Antônio Sampaio, as dificuldades econômicas do país ainda atrapalham certos setores, principalmente os pequenos, e talvez isso tenha dificultado a participação de alguns na Expo.

O presidente da Rural diz ainda que em outros anos, a Feira se desvirtuou um pouco, com muitos expositores que não eram nem pequenos produtores, nem estavam ligados à agricultura familiar e que em 2019 houve uma decisão interna para que o espaço voltasse a ser o que era antes.

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade