QUARTA, 10/10/2018, 11:28

Gaeco apresenta denúncia da operação Patrocínio

Na lista, 19 pessoas, entre elas ex-secretários municipais e o prefeito afastado de Rolândia, Luis Francisconi Neto

O coordenador estadual do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Leonir Batisti entregou ao Tribunal de Justiça (TJ) a denúncia contra 19 pessoas. Segundo o Ministério Público (MP) elas fazem parte de um esquema de pagamento de propina em troca de favorecimento de empresas. Na lista, ex-secretários municipais, procuradores e o prefeito afastado de Rolândia Luiz Francisconi Neto. Entre os crimes, estão organização criminosa e corrupção ativa e passiva.

Em setembro, quando foi deflagrada a operação, o Gaeco cumpriu 17 mandados de busca apreensão e 13 pessoas passaram a ser monitoradas por tornozeleira eletrônica, por decisão da justiça. Desde então, o prefeito Luis Francisconi Neto foi afastado do cargo. Ele até tentou na justiça retornar à prefeitura, mas o pedido foi negado. Oito secretários municipais foram exonerados. A investigação apura o suposto pagamento de propina de mais de R$ 230 mil reais a pessoas ligadas a prefeitura de Rolândia. Ainda de acordo com o Gaeco, esse dinheiro teria sido usado na campanha à reeleição do prefeito, em 2016.

Em entrevista à CBN, logo após a instalação da tornozeleira, o prefeito afastado negou as acusações.

Em nota a defesa do prefeito afastado de Rolândia, Luiz Francisconi Neto, diz que “mesmo com diversos pedidos até agora, sequer foi franqueado à defesa o conteúdo investigatório, tampouco a denúncia que foi apresentada a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná”.

O advogado Anderson Mariano, ainda ressaltou que assim que tiver acesso à denúncia e ao conteúdo investigatório poderá dar esclarecimentos à nossa reportagem.

 

Por Claudia Lima

Comentários

Publicidade