SEXTA, 05/03/2021, 19:43

Governo do Paraná prorroga medidas restritivas até quarta-feira (10)

Entre determinações, novo decreto apresenta condições para abertura do comércio, volta às aulas em modelo híbrido e pacote econômico para reduzir impactos em segmentos mais afetados.

Em coletiva, realizada na tarde desta sexta-feira, o governador Ratinho Junior (PSD) anunciou a prorrogação das medidas determinadas para conter o avanço da pandemia da Covid-19 no Paraná até às 5h de quarta-feira (10).

No entanto, o documento apresenta novas condições para retomada das atividades não-essenciais, em especial o comércio de todo o estado. Ainda na quarta, os estabelecimentos podem voltar ao funcionamento, das 10h às 17h, atendendo com 30% da capacidade de ocupação. O Governo do Estado recomenda ainda o fechamento do comércio nos finais de semana.

O consumo e a venda de bebidas alcoólicas seguem proibidos a partir das 20h, assim como continua valendo o toque de recolher, com início no mesmo horário, até às 5h.

De acordo com o governador, a situação epidemiológica do Paraná ainda reflete os impactos de 10 dias atrás. As medidas restritivas adotadas com o decreto da última semana devem ser percebidas nos próximos dias. No entanto, ele afirma que é necessário oxigenar a economia e o comércio do estado.

O documento também permite que instituições de ensino privado voltem às atividades em modelo híbrido. Assim como para o comércio, com 30% da capacidade. As aulas da rede pública retornam no mesmo formato no dia 15 de março de forma rotativa e opcional.

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, presente no anúncio, afirmou que a disparada de casos no Paraná pode ter sido influenciada pela cepa P.1, de origem amazônica. Ele diz que, nos últimos 12 dias, a Sesa ampliou a capacidade dos hospitais do estado para atender à população, com aproximadamente 600 novos leitos.

Mesmo assim, atualmente, em todo o estado, 858 pessoas esperam por um leito. De acordo com o secretário, o Paraná tem medicamentos o suficiente para os próximos 25 dias.

O novo decreto ainda apresentou um pacote econômico com objetivo de amenizar os efeitos das restrições para setores do comércio, serviço e turismo, além de micro e pequenas empresas e MEI’s.

Por Victor Assis

Comentários