QUINTA, 21/05/2020, 19:36

Londrina tem 15.743 casos confirmados de dengue e 23 mortes pela doença

A cidade é destaque nacional no número de mortes.

Londrina já virou manchete nacional no número de casos de mortes por dengue.

No total a cidade contabiliza 23 mortes pela doença. O número de casos confirmados também assusta, são 15.743 casos, sendo que o município registra 38.731 notificações, 5.257 descartadas e 17.730 estão em andamento, aguardando o resultado de exames laboratoriais.

Nessa semana foi registrada mais uma morte suspeita por dengue que ainda está em análise.

De acordo com a diretora de vigilância em saúde, Sônia Fernandes, as ações de combate ao mosquito transmissor da doença não param. Nesse período estão sendo feitos mutirões em diversos bairros que chegará a todas as regiões de Londrina.

Ainda de acordo como Sônia esse período com a queda de temperatura é fundamental trabalhar contra criadouros do mosquito e toda a população deve ajudar cuidando do próprio quintal.

Londrina conta com uma unidade de referência para atender os casos relacionados à dengue, que é o Centro Especializado em Atendimento à Dengue, localizado no Centro de Convivência da Pessoa Idosa (CCI) Norte, na Rua Luiz Brugin, 570, esquina com a Avenida Saul Elkind. O local funciona todos os dias da semana, das 7h até 1 hora da manhã.

Outras UBSs da cidade também estão recebendo pacientes com suspeita de dengue. As exceções ficam por conta das seis unidades que estão direcionadas apenas para o atendimento de casos relacionados ao coronavírus e a doenças respiratórias: Guanabara (centro), Bandeirantes (oeste), Ouro Branco (sul), Chefe Newton e Maria Cecília (norte) e Vila Ricardo (leste), e também a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará, que funciona diariamente, 24h, somente para esta finalidade.

A população pode fazer denúncias de imóveis ou áreas suspeitas de terem focos do mosquito Aedes aegypti, entre eles terrenos baldios ou ambientes que possam facilitar a proliferação do vetor. O contato pode ser feito pelo telefone 0800-400 1893, de segunda a sexta-feira, entre 8h da manhã e 5h da tarde.

Por Bruno Carraro

Comentários