SEGUNDA, 17/05/2021, 19:56

Novo decreto restringe funcionamento de serviços não-essenciais aos domingos

Com ocupação das UTIs acima de 90% e aumento de casos da Covid-19, Governo do Estado também altera toque de recolher, que passa a valer mais cedo.

As novas regras valem até o dia 31 de maio em todo o Paraná. O documento foi publicado na segunda-feira e define medidas mais restritivas para contenção da Covid-19, como a antecipação do toque de recolher em uma hora que, agora, passa a valer mais cedo, das 22h às 5h do dia seguinte. A proibição da venda e consumo de bebidas alcoólicas em espaços públicos segue os mesmos horários.

As restrições também atingem comércios e serviços não-essenciais, como restaurantes, academias, shoppings-center e comércio em geral, que ficam impedidos de funcionar aos domingos, exceto em modelo delivery. Nos demais dias, as orientações continuam as mesmas do decreto anterior, com atendimento das 10h às 22h, com 50% de ocupação.

A norma não contempla supermercados, farmácias, clínicas médicas e demais atividades essenciais.

O secretário estadual de Saúde Beto Preto afirma que as medidas foram necessárias por conta do aumento do número de confirmações da Covid-19 em todo o estado e das altas taxas de ocupação em Unidades de Terapia Intensiva para tratamento de pacientes com o coronavírus.

O decreto continua com a proibição de atividades e espaços que promovam aglomerações, como cinemas, teatros e casas de shows. Em caso de encontros familiares ou reuniões corporativas, o documento limita o número máximo de participantes em 50 pessoas. Espaços religiosos que realizarem atividades presenciais, devem respeitar a capacidade máxima de 35% do espaço, mas a Secretaria de Estado da Saúde orienta que o formato virtual seja preferencialmente adotado.

Beto Preto pede a apoio da população nas medidas de conter o avanço da Covid-19 no estado e destaca que as ações buscam preservar a vida dos paranaenses.

O novo decreto divulgado pelo Governo do Estado reforça ainda que os municípios têm liberdade em adotar medidas mais restritivas em relação a horários, ocupação dos espaços e modalidades de atendimento dos serviços e atividades não-essenciais.

Com informações da Agência Estadual de Notícias

Por Victor Assis

Comentários