QUARTA, 10/02/2021, 17:59

Paraná tem mais de 1.400 startups que geram 12 mil empregos.

Mesmo com pandemia, número de empresas de inovação cresceu quase 40% no último ano. Setores de saúde e agronegócio estão entre principais campos de atuação 

Um novo estudo divulgado pelo Sebrae, na terça-feira, revelou que o número de startups paranaenses apresentou um crescimento significativo no último ano. Segundo os dados da entidade, 1.434 empresas do tipo estão instaladas no estado. Em comparação ao último levantamento, o número representa um aumento de 39%, indicando a abertura de mais de 400 novas companhias.

Startups são empresas emergentes que buscam novas soluções para modelos de negócios. No último ano, esse tipo de empreendimento foi responsável pela geração de mais de 12 mil empregos. De acordo com Eduardo Bueno, consultor do Sebrae, o resultado mostra a capacidade do Paraná e das empresas em atrair investimento, mesmo diante da pandemia. Ele afirma que os setores que mais cresceram no período estão relacionados à área da saúde e do agronegócio.

Segundo o consultor, o cenário da crise sanitária proporcionou um ambiente para que novos serviços fossem desenvolvidos transformando a maneira com que atendimentos são realizados e na comercialização de produtos.

O levantamento ainda informa que o Paraná é um dos quatro estados brasileiros que possuem unicórnios, nome dado às empresas que possuem valor de mercado acima de US$ 1 bilhão. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais completam lista. De acordo com Bueno, o crescimento das startups representa a capacidade de mais inovação e geração de renda para o estado.

Ele explica que alguns dos segmentos mais desenvolvidos pelas empresas têm impacto direto na economia, tanto pelo desenvolvimento de produtos com potencial para alcançarem projeção internacional, como também pela criação de empregos especializados.

Do total de startups presentes no estado, cerca de 20% já receberam investimentos externos e mais de 120 empresas registraram um faturamento superiro ao teto do microempreendedor individual.

Apesar dos bons resultados, o consultor explica que dar continuidade ao negócio é um desafio. De acordo com Bueno, é preciso que o empreendedor acompanhe as movimentações do negócio e tenha agilidade para encontrar novas saídas diante dos cenários que o mercado apresenta.

 

Das mais de 1.400 empresas, cerca de um terço estão instaladas fora do eixo da capital. No estado, Londrina, que tem 180 negócios na cidade, fica apenas atrás de Curitiba em números totais de startups. Logo em seguida, os municípios de Pato Branco, Maringá e Cascavel concentram as maiores quantidades de startups.

Por Victor Assis

Comentários