QUARTA, 01/09/2021, 18:33

Paraná tem segundo maior número de endividados do país em agosto

Apesar disso, pesquisa da Fecomércio mostra que condição de pagamento das dívidas é a melhor dos últimos seis anos no estado.

A parcela de famílias paranaenses com dívidas caiu em agosto. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, apurada pela Confederação Nacional do Comércio e Fecomércio Paraná, 90,2% dos consumidores do estado possuíam algum tipo de dívida.

O coordenador de Desenvolvimento Empresarial da Fecomércio Paraná, Rodrigo Schmidt explica que a pesquisa considera as dívidas de diversos tipos, do cheque especial às prestações imobiliárias, e diz que em julho o mesmo percentual de endividamento das famílias do estado tinha aumentado para pouco mais de 91%.

Entre os motivos do endividamento, segundo Rodrigo Schmidt, as dificuldades do mercado de trabalho e a inflação. Ainda de acordo com o coordenador da Fecomércio, na lista dos estados com a população mais endividada o Paraná aparece na segunda colocação.

Outro dado é que a quantidade de famílias com contas em atraso no estado segue caindo, afirma Schmidt. De julho para agosto, a queda foi de aproximadamente 5%. Com os pouco mais de 22% registrados no mês passado, o índice chegou ao menor patamar desde setembro de 2013.

A proporção dos consumidores do estado sem condições de quitar os débitos também caiu para 8,3%, a situação mais favorável dos últimos seis anos. A queda significativa dos indicadores paranaenses pode ser atribuída a alguns fatores, diz o coordenador da Fecomércio, entre eles a renda menor dos consumidores em relação ao mesmo período do ano passado.

Mesmo com o endividamento alto das famílias paranaenses, as condições de pagamento dos débitos por aqui são melhores do que na média nacional, afirma Schmidt.

Apesar do governo federal ter relançado o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda nos mesmos moldes, a adesão foi muito menor agora em 2021.

E o cartão de crédito continua sendo o principal vilão para o consumidor quando o assunto é dívida e foi responsável por mais de 73% delas em agosto.

Por Marcos Garrido

Comentários