QUARTA, 01/07/2020, 20:05

Prefeito de Londrina se posiciona contra decreto do governo de manter somente serviços essências abertos e entrou com recurso pedindo explicações e revisão da quarentena

O decreto só será cumprido pelo município a partir de domingo, caso o governo não retire a cidade das restrições estabelecidas pelo estado.  

No fim da tarde e início da noite desta quarta-feira, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, em coletiva online se posicionou sobre a decisão do governador Ratinho Junior em colocar Londrina entre as sete regionais no decreto de quarentena de 14 dias com apenas os serviços essenciais funcionando.

O posicionamento veio mais de 24h depois do anuncio do governador.

Segundo o prefeito Marcelo Belinati, Londrina não precisava passar por essa quarentena, ele se mostrou contra a medida e acredita que a cidade tem condições de manter as atividades em funcionamento. Um recurso administrativo foi apresentado no governo do estado pedindo explicações e revisão da medida.

Um novo decreto deve ser editado pelo município. Se até domingo o governo não retirar Londrina das cidades em quarentena, ai sim, o prefeito vai cumprir.  Com exceção das feiras livres e açougues que ainda poderão atender no domingo e deverão cumprir a partir de segunda.

De acordo com o prefeito Londrina está em situação tranquila quanto a ocupação de leitos que está em 40% e sobre a possibilidade de faltar medicamentos sedativos para entubar, ele descartou, alegou que há remédios para mais de 150 dias.

Ainda de acordo com o prefeito a taxa de positivade de casos testados na cidade é bem menor que outros municípios que não estão na quarentena do decreto do estado. Londrina 16% e Maringá está acima de 20%, porém a “Cidade Canção” não entrou nas medidas restritivas.

Por Bruno Carraro

Comentários