QUINTA, 10/01/2019, 19:27

Procon alerta consumidor sobre o que não pode entrar na lista de material escolar

Outra dica é pesquisar. Um levantamento do órgão revelou que um mesmo lápis em Londrina pode custar R$ 0,30 ou R$ 2. E para ajudar na maratona pelos preços baixos, o consumidor tem até aplicativo de celular.

A primeira orientação do Procon é ficar atento aos itens da lista. A legislação impede, por exemplo, que sejam solicitados materiais de uso coletivo, como artigos de higiene ou limpeza, entre outros. O coordenador do Procon de Londrina, Gustavo Richa, explica que qualquer item que seja de uso comum da escola, dos professores ou dos alunos, não pode estar na lista. Já que eles são de responsabilidade do colégio e já estão incluídos nas mensalidades.

As escolas também não podem obrigar os pais a comprar qualquer material na própria unidade de ensino. O coordenador do Procon destaca que o colégio pode indicar alguns locais para a compra dos produtos da lista, mas nunca pode obrigar. Os pais e responsáveis têm a liberdade de adquirir os itens onde preferirem.

Gustavo Richa diz que além de prestar atenção nesses detalhes, outra dica fundamental é a pesquisa de preços, já que a variação é grande. Gastar um pouco de tempo pedindo orçamentos pode significar uma boa economia de dinheiro. Segundo o coordenador do Procon, uma pesquisa recente feita pelo órgão mostrou que um lápis poderia ser comprado por R$ 0,30 ou até R$ 2.

E para ajudar nessa aventura em busca dos preços mais baixos, algumas ferramentas podem ser bastante úteis. Uma delas é o aplicativo Menor Preço, disponibilizado pelo Governo do Estado, e que pode ser baixado no celular ou consultado na internet. Nele, o consumidor pode encontrar o produto que está procurando pelo menor preço vendido aqui na cidade. A informação é em tempo real.

Outra alternativa, também já muito usada por pais e mães para economizar na compra do material, são os grupos de whatsapp, que funcionam como um espaço de trocas e até mesmo compra de produtos usados, mas ainda em bom estado.

O coordenador do Procon orienta que em caso de qualquer dúvida ou irregularidade na lista de materiais, o consumidor tem o direito de fazer uma reclamação na escola. E caso a situação não se resolva, a denúncia pode ser feita no Procon. O órgão funciona na rua Mato Grosso, 299, Centro e o telefone é o 151. Outra forma de contato é pelo e-mail procon@londrina.pr.gov.br.

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade