SEXTA, 02/08/2019, 11:36

Projeto que discute horas extras dos servidores tem discussão adiada pela sexta vez

Município teme aumento nas ações trabalhistas

Em tramitação na Câmara desde julho do ano passado, o projeto que mexe nas horas extras dos servidores municipais de Londrina teve a discussão adiada pela sexta vez. A iniciativa do Executivo prevê a criação de banco de horas e altera a forma de cálculo das horas extras dos funcionários da prefeitura.


A ideia é aumentar a jornada de trabalho de seis para oito horas diárias, reduzindo os gastos com horas extras, que chega a 40 milhões de reais por ano.

Por outro lado, o Sindicato dos Servidores teme que as alterações no estatuto provoquem a perda de direitos adquiridos e afetem o valor da hora de trabalho normal.

O líder do prefeito na Câmara, Jairo Tamura, afirmou que o diálogo entre as duas partes continua e ainda restam detalhes a serem acordados no projeto.


Um levantamento do Sindiserv aponta que chega a R$ 2 milhões  o valor a ser pago pela prefeitura a servidores que ganharam ações na justiça trabalhista.

O projeto volta a ser discutido na Câmara em 15 de agosto.

Por Marco Feltrin

Comentários