SEXTA, 04/09/2020, 09:00

Protesto de profissionais da área de eventos repercute na Câmara de Vereadores

Critérios diferentes para atividades consideradas semelhantes foram questionados pelos parlamentares

O protesto realizado por profissionais do setor de eventos na tarde da última quarta-feira em frente à prefeitura de Londrina repercutiu na Câmara de Vereadores. Os parlamentares saíram em defesa da volta da realização de festas de casamento, aniversários, palestras, convenções e congressos. As atividades estão suspensas há seis meses por conta da pandemia do Coronavírus.

O vereador Mário Takahashi questionou a forma como o Centro de Operações em Saúde Pública de Londrina (Coesp) toma as decisões sobre a flexibilização, agindo segundo ele de forma diferente com setores de atividade semelhante.

Rony Alves falou em preconceito com o setor, comparando com atividades como o comércio, supermercados e feiras livres.

Nilza Ribeiro é proprietária de dois buffets infantis, está há oito anos na área, e participou da sessão remota da Câmara para expor a situação do setor. O último evento feito por ela foi em 19 de março. Nilza alega que eventos feitos em espaços profissionais podem ser muito mais seguros do que festas que estão sendo realizadas de forma irregular com capacidade muito superior à que o espaço permite.
A empresária demonstrou revolta com o decreto do prefeito que autorizou os buffets a atuarem como restaurante, alegando que a medida não resolve o problema.

Durante o protesto realizado na última quarta-feira, o secretário de Saúde Felippe Machado atendeu os empresários, que se comprometeram a entregar um plano detalhado com regras para o retorno das atividades a partir de outubro.

Por Marco Feltrin

Comentários