QUARTA, 19/01/2022, 18:48

Região de Londrina tem maior volume de notificações da dengue, segundo boletim estadual

Apesar disso, número de casos em todo o estado é consideravelmente menor, em comparação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com a atualização divulgada, na última terça-feira (18) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o número de municípios paranaenses que tiveram notificações de dengue, até agora, chegou a 306. No informe da semana passada, eram 298 locais que apresentaram algum registro da doença no novo período de monitoramento, que teve início em agosto de 2021 e segue até julho deste ano. Do novo total, 112 cidades confirmaram a presença do vírus.

O boletim estadual trouxe ainda 60 novos casos. Com isso, o Paraná soma 673 positivações, ao longo de aproximadamente cinco meses. Este número representa cerca de 4,4% dos quase 15 mil quadros suspeitos, que foram informados. Não houve óbitos, até o momento.

Entre os municípios que apresentaram confirmações, 80 identificaram casos autóctones. Ou seja, o paciente contraiu a doença na cidade em que reside. Apesar disso, os números no estado continuam abaixo do que foi observado no ciclo anterior. No mesmo período do ano passado, o Paraná tinha 20.993 notificações e 1.807 diagnósticos positivos para a dengue.

Segundo o levantamento, desde agosto do ano passado, a região de Londrina foi a que registrou o maior volume quadros suspeitos. Foram 6.238, até agora. Em seguida, vem a 9ª Regional de Saúde, de Foz do Iguaçu, com 2.965 notificações e a maior quantidade de positivações de todo o estado, com 214 casos.

Apesar disso, a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Belmonte, avalia que o panorama epidemiológico do Paraná, neste momento, segue o previsto para o período atual de acompanhamento da doença.

A Secretaria de Estado da Saúde aponta que a população pode ajudar no combate à dengue, eliminando pontos de reprodução do Aedes aegypti, mosquito que transmite a doença e que se prolifera em água parada. Vasos de plantas, calhas e caixas d’água sem manutenção e pneus, por exemplo, podem se tornar criadouros.

A coordenadora destaca ainda que é preciso reforçar os cuidados relacionados à prevenção neste momento, já que o volume de chuvas tem aumentado e, com isso, também cresce a possibilidade do desenvolvimento de focos de dengue.

Os principais sintomas da dengue são febre alta, dores no corpo e nos olhos, dor de cabeça, manchas vermelhas no corpo e falta de apetite. Em alguns casos, a doença pode apresentar quadros mais severos, apresentando sinais de alerta, como dor abdominal e vômitos persistentes.

Em Londrina é possível encaminhar denúncias de possíveis focos de dengue em locais públicos e também em imóveis que não estão sendo utilizados, pelo telefone 0800-400-1893. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Por Victor Assis

Comentários