QUINTA, 14/02/2019, 19:14

Secretaria de Cultura de Londrina ainda luta para manter a manobreira na cidade e tem projeto de colocar ela em movimento no futuro Memorial do Café

O Instituto do Patrimônio Histórico Nacional havia determinado o retorno da antiga locomotiva para Curitiba, mas com a proposta do município ela está no tempo, no pátio do Museu Histórico sem nenhuma benfeitoria.

Um projeto audacioso que deve custar mais de R$ 300 mil. Um Memorial do Café com a manobreira rodando nos trilhos ainda instalados no antigo IBC.

Essa é a intenção da Secretaria de Cultura de Londrina, com a manobreira de origem belga, La Meuse 101, que ainda está no pátio do Museu Histórico, ao lado do Terminal Central.

De acordo com a diretora de patrimônio artístico e histórico cultural, Solange Batigliana, o projeto foi apresentado ao Instituto do Patrimônio Histórico Nacional - Iphan, assim que o município soube que a decisão do órgão era retornar a máquina a Curitiba.

A manobreira está no tempo, mas de acordo com Solange Batigliana, não foi feita nenhuma melhoria nela, a intenção é angariar recursos para fazer a cobertura, e depois de recuperada o objetivo é construir o Memorial do Café e colocar nos trilhos do antigo IBC.

A Secretaria de Cultura ainda não tem prazo para que o Iphan responda a solicitação de aprovação do projeto para captar recursos para recuperação da locomotiva, para cobertura no espaço hoje instalado e para rodar a manobreira no possível Memorial do Café no antigo IBC.

A manobreira La Meuse 101 foi transferida para o Museu Histórico de Londrina, no final de 2016, ela estava instalada nas dependências do Pronto Atendimento Médico desde 1999.

Depois de uma decisão do Iphan em levar a máquina para Curitiba, houve manifestação por parte da população londrinense e da região para que não fosse levada para a capital. A La Meuse tem importância histórica em muitas cidades do interior, incluindo Londrina e o Norte do Paraná.

Por Bruno Carraro

Comentários