TERCA, 18/01/2022, 16:00

Sem grandes volumes, chuvas podem ficar abaixo da média para janeiro, em Londrina

Sob influência do fenômeno La Niña, cidade registrou apenas 62 milímetros, até agora.

De acordo com um balanço feito pelo Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o mês de janeiro segue com chuvas abaixo do esperado, na região de Londrina. Até o momento, foram registrados 62 milímetros. Cerca de 27% do previsto, já que a média para o período é de 224 milímetros.

A meteorologista Angela Costa explica que esta redução no volume acumulado tem relação com a atuação do fenômeno La Niña, que altera o regime de chuvas. Por outro lado, ainda nesta semana, podemos ter pancadas em boa parte do estado, segundo ela, devido à presença de uma massa de ar quente no Paraná.

Angela aponta que durante o verão é comum o desenvolvimento de temporais de maneira repentina. No último fim de semana, por exemplo, uma forte chuva atingiu Londrina. De acordo com o balanço divulgado pela Secretaria de Defesa Social, 21 ocorrências foram registradas entre sábado e domingo. A maior parte delas estava relacionada com a queda de árvores.

A meteorologista destaca ainda que a irregularidade destas chuvas também é típica da estação. Com isso, grandes pancadas são registradas em um curto espaço de tempo, enquanto que, em outros momentos, o volume registrado é inferior.

O acumulado abaixo da média também traz impactos para o campo, aponta Angela. No caso dos produtores que realizaram o plantio mais cedo, a queda na produtividade pode ser sentida em maior intensidade. No entanto, a meteorologista avalia que as chuvas registradas nas últimas semanas foram positivas para as culturas que estão em fase de frutificação.

Nos próximos dias, a chegada de uma massa de ar quente pode trazer uma nova onda de calor em diferentes pontos do Paraná. As temperaturas mais elevadas devem ser registradas no oeste e sudoeste do estado. Na região norte, as temperaturas podem ultrapassar os 30 graus.

Por Victor Assis

Comentários