SEGUNDA, 10/08/2020, 19:54

Sercomtel recebe proposta de pelo menos uma empresa e leilão deve ser realizado na próxima semana

Antes disso, operadora precisa divulgar se interessados na capitalização estão habilitados a participar de leilão.

Diferente da primeira tentativa, em janeiro desse ano, quando nenhuma empresa entregou propostas no prazo previsto e o leilão foi cancelado, dessa vez, houve interessados na capitalização de R$ 130 milhões para assumir o controle da Sercomtel. As empresas tinham até as 14 horas desta segunda-feira para entregar os envelopes com as garantias da proposta comercial e os documentos da habilitação.

Por orientação da B3, responsável pelo leilão na Bolsa de Valores no próximo dia 18, a quantidade de interessadas não foi divulgada pela Prefeitura. Mas, a CBN Londrina apurou que mais de uma empresa teria apresentado proposta.

O cronograma definido no edital prevê para o dia 17, próxima segunda-feira, a abertura dos envelopes das propostas comerciais, onde os interessados informam quanto estão dispostos a pagar pela empresa e ainda como vão resolver as pendências tributárias e outras dívidas da telefônica londrinense. Além do envelope com os documentos necessários para habilitar o vencedor, como certidões negativas, por exemplo.

O leilão propriamente dito será realizado na terça-feira, dia 18, e vence o certame quem apresentar o lance de maior valor pela Sercomtel. O pagamento mínimo é de R$ 130 milhões. Desse total, R$ 50 milhões devem ser pagos de forma adiantada, enquanto os R$ 80 milhões restantes serão usados de acordo com a necessidade de caixa da operadora.

Em relação ao primeiro leilão, a empresa diz que o edital foi reformulado e trouxe algumas mudanças importantes, como o parcelamento da capitalização e a redução do valor das ações.

Até o fim da semana passada, sete companhias tinham acessado o chamado dataroom da Sercomtel para terem acesso a informações mais detalhadas da telefônica londrinense.

Caso nenhum empresa consiga se habilitar para o leilão volta tudo à estaca zero e a Sercomtel põe em prática o plano B: uma completa reestruturação organizacional da empresa, que prevê, entre outras coisas, um novo organograma, terceirização de algumas áreas e um Programa de Demissão Voluntária com o objetivo de reduzir significativamente o atual número de funcionários da empresa, que chega a 480 trabalhadores.

Por Marcos Garrido

Comentários