QUARTA, 10/07/2019, 19:28

Servidores do funcionalismo público estadual mantêm greve e os acampamentos em frente ao Centro Cívico de Curitiba

Deputados devem se reunir com o governador na manhã desta quinta-feira para tentarem uma nova proposta formal e por fim a paralisação.

Os diversos setores do funcionalismo público do Paraná ainda mantêm a greve. Muitos profissionais estão acampados em frente ao Centro Cívico de Curitiba e cobram uma nova proposta do governo do estado para o reajuste salarial que está congelado há quatro anos.

A última proposta do governo, inclusive com projeto de lei encaminhado a Assembleia Legislativa do Paraná – Alep, foi suspensa.

A proposta é pouco mais de 5% de reajuste escalonado nos próximos anos, à partir de janeiro de 2020.

Depois de ter sido rejeitada a proposta pelos servidores os movimentos de greve pedem um acordo.

Segundo o líder, do governador Ratinho Junior, na Alep, o deputado estadual, Haussein Bakri, o governador não vai mudar a proposta.

Já os servidores alegam que não vão interromper a greve até que uma nova proposta seja apresentada pelo governo.

De acordo com o presidente do Sindicato dos professores estaduais, um dos líderes do movimento grevista do funcionalismo público estadual, Hermes Leão, a expectativa é que o governo recue na reunião marcada para a manhã desta quinta entre alguns deputados e o governador a fim de uma nova proposta que será analisada pela categoria durante a tarde.

A greve do funcionalismo público estadual começou no fim do mês passado, mas a greve tomou força, com maior adesão, no início do mês.

Por Bruno Carraro

Comentários

Publicidade