SEGUNDA, 28/01/2019, 06:15

Setor de endemias esclarece que denuncias de focos da dengue em terrenos baldios e áreas com mato alto são vistoriadas pelos agentes e encaminhadas a CMTU

Londrina tem nesse ano três casos confirmados da doença. A região da cidade que mais preocupa é a norte.

O setor de endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Londrina é responsável pela verificação in loco de casos de focos do mosquito transmissor da dengue.

Os agentes são responsáveis pela elaboração do LIRAa – Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti, pela vistoria em moradias e empresas, além de praças, fundos de vale e terrenos baldios.

Mas de acordo com a diretora de vigilância em saúde, Sônia Fernandes, o disque dengue tem recebido denuncias de pessoas reclamando de terrenos baldios com mato alto e que pode ter casos de focos da dengue.

A diretora ressalta que essas denúncias devem ser feitas para a CMTU e que se houver a confirmação de que há focos do mosquito os agentes vão até o local fazer a retirada, mas não será possível fazer a limpeza dos terrenos já que esse não é o papel dos agentes.

Sônia ressalta que é preciso sim que a população ajude na fiscalização e denuncias de focos do mosquito. Mas os trabalhos dos agentes de endemias consistem em conscientizar a população, notificar quem insiste em manter focos do mosquito e vistoriar com a retirada, se possível, dos criadouros.

Londrina hoje conta com três casos confirmados da doença, mas só em dezembro mais de 40 casos foram confirmados. Ou seja, a cidade passa por uma situação crítica. A região que mais preocupa hoje é a norte da cidade, que recebe ações de combate à proliferação do Aedes aegypti.

O telefone do disque dengue é o 0800 400 1893.

Por Bruno Carraro

Comentários