SEXTA, 20/09/2019, 11:13

Sindicato acusa prefeitura de perseguição a servidores que entraram na justiça

Procuradoria defende critério de economia na escolha por horas extras

O Sindserv, Sindicato dos Servidores Municipais de Londrina, emitiu uma nota de repúdio ao que classificou como um assédio moral promovido pela prefeitura. No manifesto, a entidade aponta a existência de uma recomendação administrativa da Procuradoria Geral do Município para que servidores que tenham entrado com ações trabalhistas contra a prefeitura não sejam autorizados a fazer horas extras.

Ainda de acordo com o Sindicato, existe a proposta da criação de uma lista de cadastro negativo destes servidores. O procurador-geral do município, João Luiz Esteves, negou a existência de qualquer cadastro, mas confirmou que a prefeitura tem optado por escolher servidores com a hora extra mais barata.

Um projeto de lei tramita na Câmara de Vereadores para regulamentar as horas extras dos servidores, com a implantação de banco de horas e alteração da jornada de seis para oito horas diárias. No entanto, o projeto já teve a discussão adiada oito vezes por falta de acerto entre prefeitura e sindicato. O procurador confirma que a batalha travada na justiça é a causa de tanta demora na aprovação.

Por Marco Feltrin

Comentários