SEXTA, 11/06/2021, 10:15

Trabalhadores voltam a cobrar instalação de banheiros químicos nas feiras livres

Equipamentos foram retirados há 5 anos, após denúncia de superfaturamento em aluguel

O descumprimento de uma lei aprovada em 2012 que autoriza a prefeitura a instalar banheiros químicos nas feiras livres de Londrina repercutiu mais uma vez na Câmara de Vereadores. Representantes da União dos Feirantes estiveram na sessão remota para relatar a dificuldade enfrentada pelos trabalhadores e frequentadores sem as instalações adequadas.

Silvio Costa, presidente da entidade, relatou que a lei deixou de ser cumprida logo no início da gestão do prefeito Marcelo Belinati, depois que uma auditoria da Controladoria Geral do Município apontou superfaturamento de 500 mil reais no aluguel de banheiros químicos, que resultou na instauração de um inquérito pelo Ministério Público.

Desde então, nenhuma alternativa foi buscada e os feirantes estão sem os banheiros.

Um novo projeto de lei protocolado no mês passado pelo vereador Emanoel Gomes quer tornar obrigatória a colocação dos banheiros químicos nas feiras, com despesas, manutenção e retirada a cargo da CMTU. Silvio afirmou que a lei não é necessária, por já haver uma antecessora, mesmo que apenas autorizativa.

Gabriel Antunes, advogado da União dos Feirantes, citou outra legislação municipal que exige a instalação de banheiros químicos em todos os eventos públicos da cidade.

Por Marco Feltrin

Comentários