QUARTA, 13/06/2018, 08:40

Uma sessão pública debate hoje à tarde a situação do Provopar, Programa do Voluntariado Paranaense. Há denúncias de mal uso de dinheiro público

A sessão deve contar com a participação de funcionários da Instituição, que vão à Câmara defender o Programa.

As dificuldades na prestação de contas do Programa do Voluntariado Paranaense, Provopar de Londrina tem gerado uma série de questionamentos. Ministério Público, Controladoria Geral do Município e a Câmara de Vereadores investigam possíveis irregularidades na prestação de contas da Instituição.

Uma sessão Pública, agendada para o começo da tarde desta quarta-feira, na Câmara de Vereadores, deve esclarecer pelo menos em parte, as dificuldades enfrentadas pelo órgão. Representantes do Provopar convocaram todos os funcionários para que participem da reunião e apoiem a instituição. No convite, a explicação é que os problemas foram gerados em “em outras diretorias”. A expectativa é de Casa cheia.

O Porovopar  tinha cinco convênios no início desta administração, que foram encerrados em dezembro do ano passado. A partir de janeiro deste ano, três convênios foram municipalizados. Os outros dois, o Vivas Vidas, que atende 1.230 crianças e a Economia Solidária, estão com os repasses suspensos. Os valores, no total de 371 mil reais, por mês, estão sendo depositados em juízo, determinada pela Vara da Infância e Juventude de Londrina.

A Secretária de Assistência Social, Nádia Moura esteve na sessão da Câmara desta terça-feira e falou sobre a preocupação com as crianças atendidas pelo Programa.

A Secretária de Assistência Social, Nádia Moura vai participar da sessão para esclarecer pontos sobre a transferência dos valores para o Provopar.

Além de representantes da Comissão Especial criada para investigar o caso, participam representantes das Comissões de Educação, Direitos Humanos e Defesa da Cidadania, Administração, Serviços Públicos e Fiscalização e Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente. O vereador Amauri Cardoso, vai presidir a reunião.

O vereador defende que a Prefeitura assuma os serviços.

A sessão pública será na Câmara de Vereadores, a partir das duas horas da tarde, desta quarta-feira.

Por Marta Ortega

Comentários

Publicidade