QUARTA, 18/12/2019, 09:08

Venda de terrenos avaliados em mais de R$ 30 milhões é aprovada pela Câmara

EMENDA QUE RETIRAVA DA LISTA AS QUATRO ÁREAS MAIS CARAS FOI REJEITADA

Passava das dez e meia da noite quando os vereadores votaram, em segunda discussão, o projeto de lei que autoriza a prefeitura a vender 16 áreas públicas da cidade com o objetivo de investir em obras de infraestrutura urbana.

Foram 16 votos favoráveis e três contrários, de Eduardo Tominaga, Felipe Prochet e Vilson Bittencourt. O último, inclusive, apresentou uma emenda retirando do projeto os quatro terrenos mais valiosos que, juntos, foram avaliados em mais de R$ 10 milhões. A proposta, no entanto, foi rejeitada.

A expectativa do município é arrecadar R$ 30 milhões com as vendas, que ainda não têm datas definidas. O secretario de Governo, Juarez Tridapalli, explicou como será o processo.


Durante as quase duas horas em que o projeto foi discutido, vereadores questionavam se o município não poderia aproveitar algumas das áreas para instalação de serviços à comunidade. A maior delas, com mais de 11,4 mil metros quadrados na Gleba Palhano e avaliada em R$ 5,7 milhões, foi sugerida para instalação de um terminal de ônibus. Mas o secretário de governo reforçou que nenhum órgão da prefeitura demonstrou interesse por qualquer uma das 16 áreas.

Entre os investimentos previstos com o recurso estão a duplicação das avenidas dos Pioneiros e Europa, adequação geométrica da avenida Ayrton Senna, recuperação de malha viária em vários bairros da cidade e construção da UBS da Vila Fraternidade.

Por Marco Feltrin

Comentários