QUARTA, 08/04/2020, 09:00

Vereadores criticam falta de informações da prefeitura em projeto sobre banco de ração

INICIATIVA TRAMITA EM REGIME DE URGÊNCIA PORQUE ONGS E PROTETORES ESTÃO SEM RECURSOS PARA MANTER ATIVIDADES

A Câmara de Vereadores começou a analisar o projeto de lei de autoria do prefeito Marcelo Belinati que cria o banco de ração no município de Londrina. Com recursos do fundo ambiental, a prefeitura poderá comprar ração, remédios e acessórios para serem doados a entidades de proteção a animais abandoados.
Como a cidade não conta com um centro de zoonoses, cabe a estas ONGs e protetores tratarem dos animais.

A proposta está sendo votada em regime de urgência porque, segundo a vereadora Daniele Ziober, o isolamento social provocado pelo Coronavírus fez com que muitos animais ficassem desassistidos. Além disso, as entidades não estão mais recebendo os recursos do Nota Paraná.

 

A discussão foi interrompida depois que vereadores questionaram quanto havia disponível no fundo e se a prefeitura tinha estimativa de quanto pagaria pelo quilo da ração. O secretario de Governo, Juarez Tridapali, disse que as informações seriam repassadas posteriormente pela Secretaria do Ambiente, o que desagradou parlamentares como Mario Takahashi.



Os dados solicitados pelos vereadores foram enviados pela Secretaria do Ambiente, e a discussão do projeto será retomada na sessão desta quinta-feira.

 

 

Por Marco Feltrin

Comentários