QUARTA, 14/10/2020, 08:52

Vereadores dão prazo de mais 30 dias para Antonio Belinati justificar reprovação das contas de 1999

Ex- Prefeito alega que tribunal de contas estava fechado e processo tem mais de 3 mil páginas

Vereadores aprovaram, por unanimidade, o pedido do ex-prefeito Antonio Belinati de prorrogar pela segunda vez o prazo para apresentar defesa da prestação de contas do exercício financeiro de 1999, consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná.

 

Em agosto deste ano, Belinati já havia pedido prorrogação do prazo por 30 dias. No dia 2 de outubro, último dia de prazo para manifestação, o ex-prefeito solicitou a nova ampliação. A alegação é de que o processo tramita há mais de 20 anos e tem mais de três mil páginas. Outro argumento é que a pandemia dificultou o acesso a documentos junto ao Tribunal de Contas, que ficou fechado até 30 de setembro.

 

Antes da votação, o pedido foi lido em plenário virtual pela presidente em exercício da sessão, Daniele Ziober.

 

Os vereadores aprovaram o prazo de mais 30 dias, que vencem, portanto, em 12 de novembro. Quando a análise das contas for feita em plenário, será necessário apenas um terço dos votos, ou seja, 7 vereadores, para que as contas sejam reprovadas e o ex-prefeito perca os direitos políticos, tornando-se inelegível por oito anos.


A Segunda Câmara da Corte do Tribunal de Contas emitiu parecer prévio pela irregularidade das contas de 1999 da prefeitura de Londrina, e já pediu a devolução de mais de 32 milhões de reais de gestores públicos. O dinheiro teria sido gasto para pagar bens não entregues e serviços jamais prestados, no episódio que ficou conhecido como Escândalo Ama-Comurb e resultou na cassação do então prefeito Antonio Belinati.

Por Marco Feltrin

Comentários