SEXTA, 09/08/2019, 11:58

Câmara aprova troca de terrenos da Cohab para construção de novas moradias

Uma das áreas pode receber os ocupantes do Flores do Campo de forma temporária

Parte das 45 famílias que ocupam as obras do residencial Flores do Campo, na zona norte de Londrina, estiveram na sessão da Câmara de Vereadores acompanhando a aprovação do projeto de lei que autoriza a prefeitura a fazer permuta de terrenos para construção de moradias populares.

O espaço onde funcionava o antigo Mercado Quebec, hoje em obras para receber a nova sede da Secretaria de Eduçação, foi trocado pela Cohab por três terrenos da prefeitura que totalizam 24 mil metros quadrados. A maior destas áreas, de 19 mil metros quadrados, está no jardim Maria Lúcia, na zona norte.
Durante uma reunião entre representantes da Cohab e do Centro de Direitos Humanos, foi levantada a possibilidade de que esta área receba moradias temporárias, que abrigariam os atuais ocupantes do Flores do Campo. A medida liberaria o local para que a Caixa Econômica finalmente retomasse as obras, paradas desde 2016.

O vereador Vilson Bittencourt, que acompanhou a reunião, falou sobre a proposta.

No entanto, uma lei aprovada pela Câmara em 2018, de autoria do hoje deputado federal Filipe Barros, estabelece que pessoas que invadiram áreas públicas ficam proibidos de receber qualquer doação, concessão ou permissão de uso destas áreas.

O líder do prefeito na Câmara, Jairo Tamura, defende que as regras estabelecidas pela Cohab em relação à fila de espera por imóveis sejam cumpridas.

Eliane Marques é uma das ocupantes das moradias inacabadas do Flores do Campo. Ela esteve na Câmara acompanhando a votação do projeto e espera que, com a aprovação, as novas moradias sejam disponibilizadas o mais rápido possível.

Por Marco Feltrin

Comentários