QUINTA, 09/08/2018, 18:45

Choque Canil de Londrina conta com sete cães policiais

Segundo o comandante, o número é o suficiente para atender a demanda de localizar pessoas desaparecidas, armas e operações em rodovias.

Sete cães policiais. Este é o número do efetivo do Choque Canil do 5º Batalhão da Polícia Militar (5ºPM) de Londrina. Segundo o comandante, o tenente Marcos Paulo Rodrigues, o número é o suficiente para atender a demanda da região. Ele explica que, atualmente, a corporação treina mais filhotes para o trabalho. Recentemente, alguns tiveram que ser doados, mesmo depois do treinamento, porque não apresentaram desempenho esperado para a função. O que é considerado normal, segundo o comandante.

Entre as funções dos cães do Choque Canil, estão localizar pessoas desaparecidas, armas e drogas e operações em rodovias.

Os cães que não permanecem na corporação, são doados, preferencialmente, para os policiais ou empresas interessadas. O tenente garante que os critérios de doação são rigorosos e que os animais vão para famílias responsáveis pela guarda.

No Paraná, 20 unidades da PM, entre gerais e especializadas, contam com canil. Em Londrina, a construção de um novo espaço de treinamento e moradia dos animais começou há seis anos, mas ainda não terminou. A ampliação foi retomada, segundo o comandante há cerca de quatro meses. O novo canil do 5º BPM promete ser mais confortável e vai poder oferecer, inclusive, serviços de orientação de adestramento à comunidade. A ideia é que o espaço tenha cozinha, depósito, ambulatório e baias reestruturadas para os cães.

De acordo com o comandante, os animais do canil têm idade para começar e parar de trabalhar, como um policial. Eles desempenham a função até, mais ou menos, os sete anos de idade. Depois, se aposentam. Quando isso acontece, são levados à Curitiba para leilão. Caso ninguém se interesse, o policial que o instruiu, pode ficar com ele.

Por Claudia Lima

Comentários

Publicidade