TERCA, 13/08/2019, 14:52

Justiça condena sete auditores fiscais de Londrina

O juiz Juliano Nanuncio também determinou a perda dos cargos públicos. Advogado de dois deles disse que vai recorrer da decisão.

Sete auditores fiscais da Receita Estadual de Londrina foram condenados a oito anos e sete meses por formação de quadrilha e corrupção passiva tributária no âmbito da Operação Publicano 6. A condenação foi dada pelo juiz Juliano Nanuncio, da 3ª Vara Criminal, responsável pelos casos da operação, que também determinou a perda do cargo público dos condenados, como comentou o promotor Jorge Barreto. Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), eles deixaram de recolher tributos de cargas de cerveja de uma distribuidora.

Os condenados são: Amado Batista Luiz, Orlando Aranda, Waldir Quintino, José Carlos dos Santos, Justino Carlos Scarabelo, Marco Antonio Bueno e Antonio Carlos Lovato. Eles também terão que pagar R$ 54 mil de multa, apesar do juiz não ter conseguido saber a quantia exata do prejuízo ao erário por falta de elementos.

Três réus da mesma operação fizeram acordo de delação premiada. Segundo o juiz, o auditor fiscal Luiz Antonio de Souza, o empresário Márcio José Mendes e o funcionário da Debal Distribuidora, Miguel Angelo Gonçalves indicaram os demais envolvidos no esquema investigado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

O advogado Walter Bittar, defensor de Aranda e de Lovato afirma que vai recorrer da decisão no Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná.

Três dos sete auditores condenados já receberam penas na Operação Publicano 1. Antonio Carlos Lovato foi condenado a 69 anos, Marco Antonio Bueno a 17 anos e Orlando Aranda a 14 anos de reclusão.   

A reportagem não conseguiu contato com a defesa dos demais condenados.

Por Claudia Lima

Comentários

Publicidade