TERCA, 19/11/2019, 19:11

Leilão da Sercomtel na Bolsa de Valores de São Paulo é adiado para fevereiro

Segundo presidente da telefônica, burocracia acabou atrasando publicação do edital e diretoria decidiu remarcar leilão. Empresas têm até 30 de janeiro para apresentar as propostas.

Estava tudo certo para o leilão, marcado, inicialmente para o dia 13 de dezembro, uma sexta-feira. No fim de outubro, a prefeitura, principal acionista da Sercomtel junto com a Copel, publicou no seu portal oficial o chamado data room virtual, um ambiente seguro para armazenar dados, averiguar documentos e trocar informações confidenciais sobre a empresa com possíveis interessados. Era o último passo antes da publicação do Edital do leilão na Bolsa de Valores.

Mas, em função do atraso na publicação do edital, o leilão foi adiado para cinco de fevereiro. Antes disso, no dia 5 de dezembro, a direção da Sercomtel faz uma apresentação da empresa ao mercado na Bolsa de Valores.

Segundo o presidente da Sercomtel, a burocracia que envolve todo o processo atrasou a publicação, que acabou saindo nesta terça-feira. Mas, segundo Tesdeschi, o prazo para análise dos detalhes do leilão pelos pretendentes seria pequeno e por isso o adiamento.

De acordo com Tedeschi, as empresas interessadas em participar do leilão têm até 30 de janeiro para apresentar as propostas.

O presidente da Sercomtel falou com a reportagem da CBN Londrina de São Paulo, onde esteve para convidar gestores de fundos, bancos e empresas de telefonia, a participarem da apresentação da empresa na Bolsa no dia 5 de dezembro.

A empresa, que atende 197 municípios paranaenses, teve um processo de caducidade, que poderia levar à perda da licença de operação, suspenso em março pela Anatel. Hoje as dívidas da Sercomtel giram em torno de R$ 180 milhões.

Por Marcos Garrido

Comentários