TERCA, 10/09/2019, 19:46

Ministério Público pede nova prorrogação do afastamento de Rony Alves da Câmara

Promotor diz que apesar do fim do prazo na segunda-feira, retorno de vereador não é automático e depende da análise e notificação de juiz.

O Gaeco solicitou à 2ª Vara Criminal, no fim da manhã desta terça-feira, a prorrogação do afastamento do vereador Rony Alves, do PTB, da Câmara Municipal por mais 180 dias. O parlamentar está fora do Legislativo desde o dia 26 de janeiro de 2018 quando foi deflagrada a operação ZR3, que investiga um suposto pagamento de propina para alterações no zoneamento da cidade e que tem como réu, além de Rony Alves, o vereador Mário Takahashi, que já voltou à Câmara por decisão do Tribunal de Justiça.

Horas antes do pedido feito pelo Ministério Público, o advogado de Alves, Maurício Carneiro, afirmou que iria solicitar ao juiz Délcio Miranda da Rocha, responsável pelo caso, a volta do cliente ao Legislativo e disse esperar que o vereador retornasse à Câmara ainda esta semana.

O coordenador do Gaeco, promotor Jorge Barreto, acredita que com o pedido de prorrogação feito pelo Ministério Público qualquer solicitação da defesa para o retorno de Rony Alves ao Legislativo seja interrompida e explica que a volta dele à Câmara, mesmo com o fim do prazo na segunda-feira, não é automática.

O promotor afirma que não há um prazo para a análise do pedido de prorrogação do afastamento, mas espera que a situação seja decidida o mais rápido possível.

Barreto avalia que a suposta ameaça à Júnior Zampard, testemunha e autor da denúncia que levou à deflagração da ZR3, é um agravante para o caso de Alves.

O afastamento de Rony Alves foi prorrogado pela justiça por três vezes. O último, por 180 dias, em 11 de março desse ano.

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade