SEGUNDA, 29/03/2021, 19:19

Produção de suínos no Paraná registra crescimento em 2020

Pandemia e alta da carne bovina motivaram crescimento na procura pela proteína que segue em expansão no estado.

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o abate de suínos totalizou com 49,3 milhões de cabeças no ano passado, em todo o país. Uma elevação de 6,4%, em comparação a 2019.

Atualmente, na suinocultura, o Paraná (com mais de 727,7 mil abates) só perde para o estado vizinho, Santa Catarina (mais de 1,68 milhão de cabeças). O analista do Departamento de Economia Rural (Deral) e responsável pela área de suínos, Edmar Gervásio, explica que o crescimento da produção fortalece a participação paranaense no setor e expande as possibilidades de comercialização da carne suína para além do mercado regional.

Ele destaca que, no entanto, o estado ainda não consegue alcançar todo o potencial de exportação que apresenta por conta de algumas restrições em determinados mercados internacionais. O Paraná ainda não é reconhecido como uma região livre da febre aftosa, o que prejudica na comercialização do produto com alguns países.

Neste mês, o comitê técnico da Organização Mundial da Saúde Animal deu parecer favorável para a liberação e a expectativa é de que a qualificação seja oficializada ainda neste ano.

Além das atividades focadas na exportação, o mercado doméstico nacional também passou a buscar mais a proteína suína ao longo de 2020. Gervásio destaca que um dos fatores que contribuiu para o crescimento foi a disparada no preço da carne bovina, que em 2020 registrou uma alta de 18%. Por conta da pandemia, o consumo doméstico também influenciou o aumento da procura.

Apesar de grande parte da produção paranaense estar concentrada no oeste do estado, o bom momento já é sentido por empresas do ramo na região de Londrina.

Segundo Marcos Pezzutti, gerente comercial do RPF Group, os números representam um avanço importante para a empresa que pode ampliar atuação nos diferentes mercados. Só no ano passado, o crescimento da produção da companhia foi de 30%.

Ao todo, onze estados brasileiros registraram saldo positivo no levantamento do IBGE. Além do Paraná e de Santa Catarina, principais produtores da carne suína no país, os estados de Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul também registraram crescimento no abate. Por outro lado, Goiás, São Paulo e Rio Grande do Sul apresentaram queda na produção em 2020.

Por Victor Assis

Comentários