QUINTA, 11/07/2019, 14:45

Professores prometem ficar em vigília até sábado em frente ao prédio do Núcleo Regional de Educação, em Londrina

Manifestação reforça movimento grevista dos servidores públicos estaduais, que estão de braços cruzados há mais de duas semanas pedindo o pagamento da data-base.

Mais de trinta professores montaram acampamento em frente ao prédio do Núcleo Regional de Educação, na avenida Maringá, na área central de Londrina, durante a manhã desta quinta-feira, e prometem ficar em vigília no local pelo menos até sábado, quando eles pretendem realizar uma assembleia para discutir os próximos passos do movimento. A manifestação na cidade reforça a mobilização feita pelos servidores públicos estaduais, que estão em greve há mais de duas semanas pedindo o pagamento da chamada data-base da categoria. De acordo com os sindicatos, o governo deve cerca de 17% de reposição salarial aos funcionários.

No início do movimento, o Estado chegou a apresentar um projeto garantindo o pagamento de 5% de forma escalonada a partir de janeiro do próximo ano. Os servidores, por outro lado, pedem que pelo menos parte desse percentual seja paga ainda em 2019. O presidente da APP Sindicato em Londrina, Márcio André Ribeiro, garante que, se o pagamento não sair, a greve vai continuar.

Por conta da vigília dos professores, a chefia do Núcleo Regional de Educação decidiu transferir as atividades do órgão para o Colégio Estadual Vicente Rijo. Ribeiro destaca, entretanto, que, apesar do movimento, a entrada do prédio está liberada.

A manifestação em Londrina é uma de diversas que estão sendo realizadas no estado. A maior delas se concentra em Curitiba, no Centro Cívico, onde um grupo de servidores montou acampamento para acompanhar as negociações com o governo. O Estado alega que não tem condições financeiras de custear a reposição pedida este ano, e pede um pouco de compreensão aos servidores. O presidente da APP reconhece a situação complicada, e destaca que o movimento está aberto para ouvir uma nova proposta.

Por Guilherme Batista

Comentários

Publicidade