SáBADO, 10/04/2021, 07:59

Representantes do Ministério da Saúde e da Fiocruz discutem vacinação em reunião na Câmara

Expectativa da fabricante é entregar mais de 200 milhões de doses até o final do ano.

A vacinação contra aCovid-19 foi tema de uma reunião pública remota na Câmara de Vereadores de Londrina. O encontro promovido pela Comissão Especial de Acompanhamento do Plano Municipal de Vacinação contou com representantes da Fiocruz, fabricante da vacina Astrazeneca e do Ministério da Saúde, além de médicos locais.

O diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Laurício Monteiro Cruz, informou que até o momento foram distribuídas 47,5 milhões de doses em todo o país, até o momento, sendo que grupos como indígenas, idosos em casas de repouso e populações ribeirinhas já estão totalmente imunizados. Entre os idosos, a faixa acima dos 70 anos também já foi coberta pelo menos com a primeira dose.

O vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Krieger, afirmou que já foram entregues 8 milhões de doses da Astrazeneca ao governo federal. A meta é chegar a 210 milhões até o final do ano, sendo 100 milhões de doses ainda no primeiro semestre, com a previsão de que a partir de julho o instituto passe a produzir o Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima da vacina que hoje é importada.

Segundo o representante da Fiocruz, mesmo na primeira dose, a vacina da Astrazeneca chega a 76% de proteção contra infecção e 100% contra doenças graves e internação.

Durante a reunião, o diretor do Ministério da Saúde foi questionado sobre o projeto que tramita no Congresso e permite a compra de vacinas por empresas privadas. Cruz se mostrou contrário à ideia.

A presidente da Associação Médica de Londrina, Beatriz Tamura, participou da reunião reforçando a importância da vacina como forma de controle da doença e falou sobre a exaustão da categoria.

Por Marco Feltrin

Comentários