SEGUNDA, 16/04/2018, 06:30

Vereador acusado de cobrar propina para aprovação de mudanças de zoneamentos em Londrina vai ser defender em sessão da Câmara

Rony Alves ganhou na justiça o direito de ir ao plenário se defender das acusações para que uma Comissão Processante não seja aberta contra ele. 

Na sessão da Câmara de vereadores dessa terça-feira, dia 17, os parlamentares vão votar se instalam uma Comissão Processante para julgar o presidente afastado da Casa, Mário Takahashi, e o vereador Rony Alves. São necessários treze votos para a instalação da CP e a presença de no mínimo treze parlamentares na sessão.

Para a sessão o vereador Rony Alves, conseguiu na justiça o direito de ir a plenário e se defender antes mesmo do início de votação da CP, que pode cassar o mandato do vereador afastado.

Os vereadores Rony e Takahashi são acusados de integrarem um grupo que cobrava propina para aprovação de mudanças de zoneamentos em Londrina. Desde o final de janeiro desse ano, ambos estão cumprindo determinações restritivas da justiça entre elas uso de tornozeleira eletrônica, quando foi deflagrada a Operação ZR3 – Zona Residencial III, coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado - Gaeco.

De acordo com o advogado Maurício Carneiro, que defende Rony, o vereador afastado vai usar os mesmos argumentos já apresentados à justiça em defesa preliminar, entre elas que, os projetos de alteração de zoneamento não apresentavam irregularidades. 

De acordo com Michel Neto Neme, advogado que defende o vereador Mario Takahashi, um pedido foi feito à justiça para que Takahashi tenha o mesmo direito de se defender no plenário antes da CP ser aberta, mas até o fechamento desta edição a justiça ainda não havia respondido ao pedido da defesa.

A sessão terá início as 2h da tarde desta terça-feira.

Por Bruno Carraro

Comentários

Publicidade