QUINTA, 24/12/2020, 10:59

Vereadores fazem discursos de despedida na última sessão da Câmara

Treze deles não voltam para o legislativo a partir de 1º de janeiro de 2021

Já se aproximava da meia-noite quando o presidente Ailton Nantes encerrava a última sessão extraordinária que fechava a 17a Legislatura da Câmara de Vereadores de Londrina. Antes do rito final, no entanto, o primeiro secretário Felipe Prochet pediu para que cada parlamentar fizesse um discurso de despedida.
Para 13 deles, uma despedida de verdade, já que apenas seis foram reeleitos para o próximo mandato que se inicia em 1o de janeiro.

Depois de uma sequência de discussões que invadiram a madrugada, o tom sério dos debates deu lugar a depoimentos ora bem-humorados, ora emocionados. Em comum, os agradecimentos aos colegas de Legislatura e aos servidores da Casa.
O primeiro a falar, obedecendo a ordem alfabética, foi Amauri Cardoso, que com 1.818 votos não conseguiu se reeleger pelo PSDB.

Daniele Ziober, que segue na Câmara como a quinta mais votada, ressaltou a experiência política obtida na primeira passagem.

Eduardo Tominaga, reeleito pelo Democratas, se emocionou ao agradecer os colegas.

Até mesmo vereadores que poucas vezes pediam a palavra durante as sessões, como Estevão da Zona Sul e Guilherme Belinati também fizeram seus discursos de agradecimento.

Os vereadores Mário Takahashi e Rony Alves lembraram do período em que ficaram afastados por conta das decisões envolvendo a operação ZR3, que investiga um esquema de cobrança de propina para aprovação de projetos de zoneamento urbano. Takahashi disse não guardar mágoas dos acontecimentos.

Com o fim dos trabalhos do Legislativo, a Câmara de Vereadores entra em recesso até 31 de dezembro, voltando em 1o de janeiro para a cerimônia de posse.

Por Marco Feltrin

Comentários