QUINTA, 23/01/2020, 18:34

Após demissão em massa no fim do ano passado, Kroton pode responder judicialmente por precarização no ensino

Foram 60 profissionais demitidos e a acusação do Sindicato é que as demissões ocorrem somente com professores mais velhos, com salários mais altos.

No fim do ano passado a Kroton demitiu mais de 60 professores da instituição em Londrina.

O grupo tem o controle de duas universidades na cidade, mas a demissão ocorreu em especial em uma das instituições.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Profissionais das Escolas Particulares de Londrina e Norte do Paraná – Sinpro, André Cunha, a instituição foi acionada na justiça e o sindicato busca penalização pela precarização do ensino com a demissão de professores mais velhos e experientes para contratação de novos com salários mais baixos.

Ainda de acordo com o presidente do sindicato a resposta da Kroton foi a mesma nota repassada à imprensa no fim do ano passado. Entre as afirmações da empresa está que o volume de professores demitidos está dentro do previsto anualmente pela gestão da instituição.

Por Bruno Carraro

Comentários