QUINTA, 17/06/2021, 19:25

Com obras dentro do prazo, revitalização do Bosque entra na reta final e espaço deve ser entregue no início de agosto

Apesar de todo o entorno estar sinalizado, empreiteira diz que placas vêm sendo destruídas e secretário pede colaboração de quem circula pela área.

Com mais de 50% do serviço pesado já feito, a revitalização do Bosque entrou na reta final. A entrega da obra, que começou em fevereiro deste ano e tem investimento total de R$ 2,5 milhões da Prefeitura, está mantida para a primeira semana de agosto. Na parte norte do Bosque, perto da Catedral, os novos corredores de passagem já estão prontos. A iluminação em LED e as calçadas externas também estão concluídas. Na área, falta instalar apenas bancos e mesas e fazer o paisagismo.

Na parte central, o núcleo do Bosque, o piso de terra está sendo nivelado para receber o concreto e também estão sendo construídos muros laterais e guias para as áreas de lazer e descanso. O espaço também vai ter iluminação LED, ciclovia, além de área para food trucks. Na parte sul, na rua Pará, o Circuito Pet também está em fase de conclusão. A quadra de esportes está sendo reformada e o espaço vai ganhar ainda academia ao ar livre, parquinho infantil, playground e pista de skate.

O secretário Municipal de Planejamento, Marcelo Canhada, destaca o tamanho e a qualidade da obra e diz que, se o tempo ajudar e não surgir nenhum imprevisto, o prazo para entrega do Bosque completamente revitalizado deve ser cumprido e o espaço, uma referência dos londrinenses, entregue em agosto.

Por conta da grande movimentação de máquinas e equipamentos em uma área no centro da cidade, com grande circulação de pessoas praticamente todos os dias, a Prefeitura vem recomendando que, por questão de segurança, os pedestres evitem circular, especialmente, pela área interna do Bosque.

Na entrada principal, que fica na rua Piauí e corta todo o espaço, apenas os veículos de serviço e trabalhadores da obra estão autorizados. Outra orientação é para que as pessoas também evitem as calçadas externas, que ainda estão com muitos trechos com terra e pedras soltas. Canhada diz que, apesar das placas e bloqueios, algumas pessoas insistem em não respeitar a sinalização e pediu um pouco de paciência a quem mora ou circula pela região.

A empreiteira responsável pela revitalização diz que várias placas e cercas de interdição foram alvo de vandalismo. Segundo a construtora, desde o início da obra foi necessário reinstalar algumas vezes as placas e sinalizações vandalizadas.

Por Marcos Garrido

Comentários