QUINTA, 13/05/2021, 19:00

Construção civil prevê R$ 5 bilhões de investimentos apenas em habitações “populares” para Londrina

Projetos de 22 construtoras e incorporadoras da região devem começar ainda este ano e somam mais de 18 mil unidades. Presidente do Sinduscon diz que, apesar dos gargalos, setor vive bom momento.

Uma retomada que vinha se consolidando no início de 2020, teve o ritmo reduzido com a pandemia e agora, pelo volume de investimentos apresentados por 22 das principais incorporadoras e construtoras da região, parece estar se confirmando. O número foi apurado após uma reunião técnica no Sinduscon Norte Paraná e aponta para mais de R$ 5 bilhões de investimentos em Londrina nos próximos três anos.

O levantamento do Sindicato da Indústria da Construção Civil prevê a construção de 18 mil unidades e no cálculo aparecem apenas as habitações populares, os chamados imóveis de alto padrão e outros segmentos não foram incluídos.

O presidente do Sinduscon Norte, Sandro Nóbrega, diz que também ficaram de fora dos R$ 5 bilhões os projetos que ainda estão em desenvolvimento e afirma que esse valor deve ser superado. Ele diz que não se tratam de previsões, mas de recursos garantidos para obras em que os pedidos de alvará já foram encaminhados à Prefeitura.

Sandro Nóbrega diz que o setor, que representa 14% do PIB de Londrina, tem pressa na aprovação dos projetos e a expectativa, segundo ele, é de que muitas das obras comecem ainda este ano, o que vai depender da liberação da Prefeitura.

Os recursos investidos nas 18 mil unidades habitacionais devem gerar para o Município, pelo menos, R$ 350 milhões apenas em tributos, afirma o presidente do Sinduscon.   

O setor emprega em torno de dez mil pessoas em Londrina. A estimativa é de que com todos os projetos em andamento sejam criados, em um ano, mais de 4 mil empregos diretos, de acordo com o Sinduscon.

Hoje, o déficit habitacional em Londrina é de 7,5 mil unidades, segundo a COHAB.

Por Marcos Garrido

Comentários