SEGUNDA, 12/11/2018, 06:05

Documentário londrinense revela detalhes do maior assalto a banco da história da cidade

Durante o roubo ao Banestado, em 1987, 300 pessoas foram feitas reféns dentro da agência bancária no Calçadão. Do lado de fora, uma platéia de mais de cinco mil pessoas se reuniu para acompanhar o desenrolar do assalto.

Um caso que ficou na memória da cidade. Quem tem quarenta anos ou mais lembra bem da história. No dia 10 de dezembro de 1987, sete homens invadiram a agência central do maior banco de Londrina e fizeram mais de 300 pessoas reféns durante sete horas. Do lado de fora, uma platéia de 5 mil pessoas chega a gritar a favor dos bandidos e contra o governo Sarney. Era uma época de inflação alta e muita insatisfação com a economia do país. Trata-se do sequestro mais longo de um grande número de pessoas no Brasil.

Os bandidos exigiram 30 milhões de cruzados que foram recolhidos de vários bancos da cidade. Após muitas horas de negociação, a quadrilha fugiu com um valor próximo do que exigiram e levaram ainda 14 reféns. O diretor do documentário, Rodrigo Grota, afirma que a ideia inicial era fazer um filme de ficção, desse que foi o maior assalto da história de Londrina, um acontecimento que parou a cidade e que para ele pode ser comparado ao famoso ataque terrorista de 11 de setembro, ocorrido nos Estados Unidos em 2001.

O diretor explica ainda que o filme mostra o roubo em várias perspectivas: dos assaltantes, dos reféns, da Polícia, da imprensa e da própria população.

Rodrigo Grota diz que o documentário tem dois protagonistas: um dos assaltantes, conhecido como Moreno, e o jornalista e ex-diretor de jornalismo da CBN Londrina, Paulo Ubiratan, falecido em outubro de 2010 aos 72 anos, e que à época, como repórter policial da Folha de Londrina, acabou entrando na agência e sendo uma espécie de mediador entre policiais e assaltantes.

O diretor do documentário conta que o assalto, da chegada dos bandidos à agência até a fuga para São Paulo, durou sete dias. E Paulo Ubiratan acabou indo para a estrada e passando mais um dia com os assaltantes. Entre tiroteios com a polícia paulista e trocas de ônibus, o jornalista acaba se separando do grupo e volta para Londrina.

“Isto (não) é um Assalto!” tem pré-estréia marcada para o dia 21 de novembro aqui em Londrina. A partir do dia 22, o filme começa a ser exibido em algumas salas do circuito comercial da cidade e depois deve seguir para Curitiba e São Paulo. Com duração de 1h e 40 minutos, o documentário não é recomendado para menores de 14 anos.

Por Marcos Garrido

Comentários