TERCA, 21/11/2017, 19:13

Doutorando da UEL ganha prêmio inédito na universidade no setor de medicina

A pesquisa mostra que substancias extraídas de frutas cítricas podem amenizar dor, podendo formar medicamentos sem efeitos colaterais.

Uma pesquisa do Doutorado em Patologia Experimental da UEL ganhou prêmio inédito para a

Universidade Estadual de Londrina. O Prêmio CAPES de Tese Edição 2017, na área de Medicina II, oferecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

O estudo é de autoria de Felipe Almeida de Pinho Ribeiro, foi orientado pelo professor Waldiceu Aparecido Verri Junior, do Departamento de Ciências Patológicas, e o prêmio, anunciado em outubro, será entregue em dezembro, em Brasília.

São medicamentos que inibem a dor, mas as substâncias são naturais, ou seja, não há efeitos colaterais.

De acordo com o professor Waldiceu, Felipe defendeu a tese em 2016, depois de desenvolver a pesquisa na UEL e na Universidade de Harvard. As substâncias que amenizam a dor são extraídas de vegetais e frutas cítricas.

Segundo o professor a intenção é usar essas moléculas de frutas cítricas como medicamento que é natural e saudável.

O êxito nas pesquisas sinalizam um avanço em estudos clínicos para o desenvolvimento de novos medicamentos para o controle de infecções.

Por Bruno Carraro

Comentários