QUINTA, 06/08/2020, 19:02

Horário atual inviabiliza funcionamento de restaurantes e lanchonetes nos shoppings, afirma diretor de associação

Abrasel pede regras iguais às dos estabelecimentos de rua e garante que com abertura apenas até as 19hrs, faturamento cai em torno de 70%.

A reabertura, tão esperada pelos donos de restaurantes que funcionam nos shoppings da cidade, veio no dia 20 de Julho. Pelo decreto da Prefeitura, as praças de alimentação só podem funcionar de segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e com apenas 50% da área total, respeitando o distanciamento de dois metros entre as mesas, e somente 50% da capacidade.

Nesse fim de semana, por conta do Dia dos Pais, o Município autorizou o funcionamento dos shoppings do meio-dia às 22 horas, mas apenas de quinta até o sábado. Na semana que vem, as praças de alimentação voltam ao horário antigo, até as 19hrs e apenas de segunda a sexta.

E é esse justamente o principal problema enfrentado pelo segmento, afirma o diretor da Regional Norte Paraná da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Carlos Grade. Ele explica que o setor quer apenas as mesmas regras de quem funciona fora dos shoppings e diz que com o horário até as 19hrs eles perdem a principal refeição em termos de faturamento.

Carlos Grade diz que o jantar, principalmente nos finais de semana, representa até 70% das vendas do segmento, a depender do perfil do estabelecimento.

O diretor da Abrasel afirma que 30% dos restaurantes e lanchonetes não reabriram por conta dessa restrição de horários que inviabiliza a operação. Carlos Grade diz ainda que o receio inicial da Prefeitura de que com a reabertura os shoppings se transformariam em local de passeio, na prática não ocorreu, e garante que em nenhum dia, desde a reabertura das praças de alimentação, a capacidade dos estabelecimentos chegou a 50%.

O diretor da entidade, que representa aproximadamente 170 bares, restaurantes e lanchonetes de Londrina e outras cidades da região, diz que a proposta já foi levada ao prefeito, que respondeu não ser uma decisão apenas dele.

Segundo a Abrasel, 30% dos estabelecimentos dos shoppings não devem mais reabrir as portas com a crise gerada pela pandemia.

Por Marcos Garrido

Comentários