QUINTA, 18/07/2019, 18:19

Ministério Público vai ouvir família de idosa e gerente de agência bancária sobre o caso da “provas de vida” presencial que levou a senhora cair da cadeira de rodas

A situação ocorreu no mês passado e a idosa precisou ser hospitalizada depois de o gerente se negar atendê-la no estacionamento.

No fim do mês passado uma idosa de 84 anos, foi levada pela filha a uma agência bancária do Calçadão de Londrina para fazer prova de vida. Como estava chovendo, a filha pediu ao gerente que fosse até o estacionamento atender à mãe, mas o gerente se recusou. Na tentativa de levar a idosa até a agência, a cadeira de rodas tombou na rampa de acesso ao banco e a senhora precisou ser hospitalizada.

A denuncia chegou a Assembleia Legislativa do Paraná - Alep que acionou o Ministério Público pela Comissão que Defende os Direitos da Criança, Adolescente, Idoso e da Pessoa com Deficiência – Criai. Uma carta chegou a ser enviada ao presidente do banco em São Paulo pela própria Alep.

O MP anunciou que está investigando a situação para punir os responsáveis.

Nossa reportagem procurou o promotor Miguel Sogaiar que apura a situação.

De acordo com o Ministério Público, foi aberto um procedimento investigatório em que ambas as partes serão ouvidas, a família da idosa e o gerente da agência bancária.

Só depois de todo processo de oitivas ter sido concluído é que o MP vai tomar a decisão do que poderá ser feito.

O Promotor Miguel Sogaiar, prefere se manifestar ao fim das oitivas que ainda não tem data para serem realizadas.

Por Bruno Carraro

Comentários