QUARTA, 09/10/2019, 19:00

Operação Sicário do Gaeco denuncia 133 pessoas por envolvimento com facção criminosa

De acordo com promotor, investigação identificou lideranças responsáveis por diversos setores da organização criminosa a nível estadual. Um desses núcleos tinha a missão de punir membros que descumpriam as regras da facção.

O Núcleo de Londrina do Gaeco ofereceu, nesta quarta-feira, 14 denúncias criminais contra 133 pessoas envolvidas com uma organização criminosa que atua, a partir de presídios, aqui no norte paranaense e em outros estados. Os denunciados foram investigados no âmbito da Operação Sicário, deflagrada pelo Ministério Público em julho e que culminou no cumprimento de 108 mandados de prisão e 80 de busca e apreensão em 40 cidades do estado e em um município paulista.

O promotor Leandro Antunes, do Gaeco de Londrina, explica que além dos 108 mandados de prisão expedidos na deflagração da operação, a investigação chegou a outros nomes, que acabaram denunciados agora.

Das 133 pessoas, quase 100 já estão presas e o restante é considerado foragido da justiça. A investigação da Operação Sicário foi desenvolvida em conjunto pelo Gaeco, pela 16ª Promotoria de Londrina e pela Polícia Militar. De acordo com o promotor, todos os denunciados são acusados de uma série de crimes, entre eles tráfico e organização criminosa.

O promotor afirma que a investigação contribui para enfraquecer a facção, que funcionaria como uma empresa, que tinha inclusive um setor de punição. Leandro Antunes diz que algumas lideranças, com cargos estratégicos dentro da estrutura da organização, também foram identificadas e presas.

A Operação Sicário foi deflagrada no dia 31 de julho e contou com a participação de cerca de 300 pessoas, entre promotores de Justiça, policiais e agentes penitenciários, de diversas unidades do estado. Todas as ordens judiciais foram expedidas pela 3ª Vara Criminal aqui de Londrina.

Por Marcos Garrido

Comentários

Publicidade